sábado, 20 de maio de 2017

Resenha: Os Crimes ABC - Agatha Christie

Oi Oi Lunatic's! Tudo bem por aqui?
Que saudade do meu cantinho, de trazer uma resenha quentinha pra vocês (e hoje além de resenha, tem novidade no final)... A saudade surgiu, o tempo apareceu, o livro foi lido e cá estou eu trazendo a minha opinião sobre o livro "Os Crimes ABC" de ninguém menos que Agatha Christie, a rainha do crime, como é conhecida. Vamos Lá...

* Informações:
- Titulo Original: The ABC Murders
- Autor: Agatha Christie
- Editora: L&PM Pocket
- Literatura: Estrangeira/Romance Policial
- Páginas/Folhas:248/Brancas
- Lido Em: Fevereiro de 2017
* Sinopse: Já aposentado, Hercule Poirot aceita o desafio de desvendar um assassinato cometido por um criminoso que se anuncia com cartas anônimas cheias de menosprezo. O assassino deixa junto de suas vítimas um guia ferroviário. Talvez seja um maníaco por estradas de ferro. Poirot persegue de pista em pista, de letra em letra, o rastro sempre alfabético do inimigo.


* Minhas Impressões
- Trama e Narração:
  A narrativa acontece ao redor do detetive já aposentado Hercule Poirot, seu amigo Hastings e um serial killer solto em Londres; o serial killer mata as suas vitimas seguindo uma ordem alfabética e em toda cena deixa somente uma pista sem sentido, um guia ferroviário, e o mais desconcertante... Ele desafia o detetive Hercule Poirot com cartas anônimas sempre anunciando onde irá acontecer o assassinato, colocando em risco o nome de Poirot. Pronto! Aí temos a nossa base para toda a história.
Parte da narrativa é feita em primeira pessoa pela visão do capitão Hastings, parte pela visão do serial killer, isso torna a leitura interessante, mas não foi suficiente para prender a minha atenção; achei os 15 primeiros capítulos bem chatos e arrastados, mas aos poucos a narração vai ganhando gosto.

- Personagens:
  Uma das coisas que mais gostei no livro foi a criação e a teia de relação montada por todos os personagens, pois não há um personagem mais importante que o outro, todos são importantes e todos relacionam entre si. A construção de todos os personagens é muito bem feita e a interação entre eles também, praticamente todos os personagens tem uma personalidade interessante, e enquanto todos acreditam ter finalmente agarrado o serial killer, apenas Poirot segue na direção contrária.

                               " Em meio a morte, estamos na vida, Hastings... "
                                                                                                                              - Pág. 138

- Design:
  O livro é uma edição pocket, com 248 páginas, e apesar de ser pocket tem uma qualidade muito boa, a capa é de um material resistente e bem trabalhada (sim sou apaixonada por essa capa), as páginas são brancas e o tamanho da letra faz com que a leitura seja agradável aos olhos. Por tanto não se enganem por ser pocket.

- Pontos Positivos e Negativos:
  O livro é sim muito bom, mas é preciso um pouco de paciência para chegar a parte realmente boa; a escrita da Agatha é ótima, leve e clara; é uma leitura boa e rápida, ideal para um fim de semana. Apesar disso concluo que a melhor nota para o livro é um 3,5 não que o livro não seja bom, mas ele não é bom o suficiente para ser considerado ótimo.

Agora contem-me vocês já leram alguma obra de Agatha Christie? 
Espero que tenham gostado da minha resenha, e como prometido a novidade é que finalmente farei o lançamento do Canal do Blog ( *----* ), portanto fiquem atentos, pois durante essa semana será lançado o primeiro vídeo! E claro que se quiserem já podem deixar dicas de videos que gostariam de ver, o que gostariam de saber sobre mim e etc, dicas e criticas sempre serão aceitas =)

Beijos da Luna!


quinta-feira, 11 de maio de 2017

...

Antes de ler, aperte o play!

Teresina, 11 de Maio de 2017

  Cá estou eu, mais uma noite ouvindo músicas doces, vestida na camisa que tu esquecestes na minha gaveta e relembrando todos os nossos momentos... Foram tantos... Tantas brigas, tantos desencontros, tantas discordâncias, tantos sorrisos, tantos abraços, tantos "Eu te amo" em alto e bom som/sussurrados/digitados, tantos "tantos" que seria demais se eu fosse tudo citar. Sabe, eu nunca quis compartilhar minha cama com ninguém, tão pouco minha vida, até você surgir...

  Então Leticia porque me escrever? Não é a Luna que te escreve meu amor, é a Leticia, porque a Luna é somente uma parte de mim, e eu não saberia escrever esta carta se não fosse completa. Eu já te dediquei muitas palavras, muitos textos e declarações, então nem sei se estas letras serão diferentes das tantas outras vezes que te escrevi nas entrelinhas. Você lembra do poema que tomei a liberdade de te dar? Duvido, lembro que pegastes o livro nas mãos folheastes as páginas, leu muito superficialmente, Carlos Drummond de Andrade. Lembra das tantas músicas dedicadas? Nem eu lembro todas, mas nos resumo a Ed Sheeran. De toda forma, meu amor, apenas te escrevo na tentativa de com letras te gravar aos poucos na minha alma, na tentativa vã de afugentar a saudade que invade nas madrugadas onde minha mão tenta alcançar-te ao meu lado e não te encontro... Não porque não estás comigo, porque comigo tu estas o tempo todo no coração, mas pela escolha que fizemos de nos dedicarmos a um propósito maior que nos espera.

  Não é fácil meu amor sentir tua saudade, e não falo de qualquer saudade, porque por mais que estejamos somente a um quarto de distancia a saudade existe, falo dessa saudade de algo que ainda não temos, mas que pretendemos ter, a saudade do casamento. Alguns meses atrás eu disse a mim mesma que não mais sonharia com um casamento ao olhar pra ti, que não tocaria mais no assunto e que tão pouco faria planos; bom eu tentei, continuo tentando na verdade, mas é impossível não te olhar e não sonhar com um casamento, e eu não poderia... Não poderia não sonhar em casar contigo quando você me trata tão bem, sim as vezes você é ignorante e grosso, mas quem não é? Não poderia não sonhar em casar contigo, quando cuidas tão bem de mim, mesmo tantas vezes eu não seguindo o teu conselho e quase sempre pagando um preço alto por isso. Não poderia não sonhar em casar contigo, quando não consigo nem sequer imaginar minha vida sem você, mesmo sabendo que haveria uma vida sem você, mas simplesmente prefiro pensar nesta vida ao seu lado.

  Hoje nós não fazemos aniversário de namoro, não é data especial, nada disso, mas quem disse que existe data especial para escrever a quem amamos? Não há. As palavras queriam ser escritas, e eu queria consolar a minha saudade, juntamos as duas coisas em uma só e deu isso, mais um monte de letras sem sentido. A verdade Carlos Danilo é que não importa quantas palavras eu procure para te escrever, nenhuma será suficiente para dizer o tamanho do meu sentimento por você. E eu sei que você sabe disso, mas mesmo assim continuo tentando, porque sei que você lê todos os meus textos... Obrigada por ser esse namorado/noivo tão especial que você é, mesmo não gostando do meu blog, dos meus livros e dos meus defeitos, aceita e esta é sem dúvidas uma das maneiras mais lindas que você tem de dizer que me ama do jeitinho que sou. I Promise, I will be better! I love you, my everything! (E sim eu sei que você odeia quando eu falo inglês, e já estou sorrindo)...

Eu amo você meu grandão!
Da sua pequena Leticia!

Você Vai Gostar de Ler:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...